Os portugueses tiveram em Cavaco Silva, ainda Presidente da República um fiel aliado do bloco de direita PSD/CDS e da sua política. Cavaco Silva, à imagem e semelhança dos protagonistas da política de direita, olha para Portugal pela lente do défice; utiliza o balanço entre o deve e o haver; fala em contas nacionais e contribuintes. Somos pouco mais do que isto para a Direita.

Cavaco Silva foi primeiro ministro de 1985 a 1995. Neste ano fugiu da liderança do PSD deixando que Fernando Nogueira, efémero sucessor na liderança do PSD, arcasse com uma clamorosa derrota eleitoral. Em 2005 é eleito Presidente da República. Dez anos depois estamos a sofrer das erradas decisões tomadas então.

Hoje, Marcelo Rebelo de Sousa anunciou a sua candidatura à Presidência da República. Foi líder do PSD após a saída de Fernado Nogueira. Na altura já fazia comentário político semanal na TSF. Participou ativamente em todas as campanhas eleitorais pelo PSD. Aliás, nesta última, esteve em várias atividades de campanha. Na TVI, em horário nobre, fez comentário político. Aí encontrou um palco de opinião e desinformação que aproveitou bem: não para nosso bem, mas para bem da direita.

Assim, nas próximas eleições Presidênciais, o povo português deve libertar-se destas teias de aranha, das amarras que os prendem a escolhas entre iguais, para pôr na Presidência um homem ou mulher de esquerda.

Marcelo Rebelo de Sousa é um lobo com pele de cordeiro. Conhecem a história do capuchinho vermelho? MRS diz que quer pagar uma dívida. Nós dizemos que se vá!

Advertisements