É verdade que sempre houve tsunamis, tufões, furações, terramotos e outras catástrofes. Daqui, Raposo, o estoriador, retira uma conclusão infundada. Mas essa é também a especialidade de Raposo, o estoriador. Além do mais tinha que escrever. 

O que o primeiro relatório do II Grupo de Trabalho do IPCC publicado à 23 anos referia e que o segundo relatório de 2005, o terceiro de 2001 e o quarto de 2007 consistentemente verificaram era a muito provável intensificação de fenómenos atmosféricos extremos: Mais frequentes e mais intensos. Também referiam que os danos seriam maiores devido à aglomeração da população em zonas costeiras e cada vez mais concentradas em grandes cidades.

 

O relatório do I Grupo de Trabalho do IPCC publicado este ano e o que se conhece do relatório do II Grupo de Trabalho que será publicado no início de 2014 é a confirmação destas previsões. 

 

Advertisements