Vou votar Domingo na CDU. Voto sempre na coligação que o PCP integra. Mas os motivos que me levam a isso são meus.  Ainda que partilhados por milhares e milhares de outros Portugueses, não são os motivos que levam ainda mais milhares de Portugueses a votar também CDU.  

As eleições autárquicas têm sempre uma leitura nacional. Estas, após anos de fortíssimo retrocesso social e de grave crise económica, exigem que os Portugueses a vejam como uma forma de luta. Uma forma de luta que complementa e adiciona o protesto e a indignação individual. Mas também uma forma d eluta que complementa e adiciona às manifestações, às lutas nos locais de trabalho, às greves sectoriais, às greves gerais. Os Portugueses não podem afirmar no seu dia-a-dia que “assim não”, que “não aguentamos mais” e depois dar o voto ao PSD e/ou PP.

Mas sejamos claros. Milhares de Portugueses vão dar o voto ao PSD e CDS. Pensam que estão a eleger o melhor autarca. Nessa mesma noite esse voto vai ser apropriado pelo discurso do “caminho certo” do “único caminho” que nos está a levar a desemprego macisso, emigração forçada, ruptura nas Universidades e no ensino, congelamento de salários, aumento de dias e horas de trabalho sem aumento de remuneração num ciclo de desatre para o nosso país.

É pois necessário convençer cada amigo, cada vizinho, cada colega de trabalho hoje, amanhã e domingo e ganhá-los para irem votar nos partidos anti-troika. 

Advertisements