Read this (in Portuguese)

(…)Entretanto, não mudou a essência do sistema capitalista, as suas contradições, os antagonismos de classe que o caracterizam e que o condenam a prazo. A crise profunda do processo de integração europeia é expressão viva da crise do próprio sistema.

Como nos idos anos 20, comentadores de serviço e políticos de turno ocupam-se das causas do «declínio da Europa», apontam causas e soluções para a crise. Invariavelmente, o reforço da integração capitalista surge como caminho a seguir.

Como nos anos 20, um «furúnculo fétido» apodrece e corre o risco de rebentar. Extirpá-lo o quanto antes é a tarefa inadiável com que os povos da Europa se confrontam.

Advertisements