De facto, esta multa é uma «gota de água» numa empresa que, para além de fugir ao pagamento de impostos em Portugal deslocalizando a sua sede para a Holanda, aumentou os seus lucros no primeiro semestre de 2012, obtendo cerca de 152 milhões de euros.

Lucros concretizados à custa dos parcos rendimentos dos portugueses e da exploração dos seus trabalhadores, violando acordos colectivos de trabalho e procurando pôr em causa a prática de há muitos anos de fecho das superfícies comerciais no feriado, dia do Trabalhador.

Veja-se o contraste que representam os critérios aplicados. A um trabalhador que tenha uma dívida pode-lhe ser retido até 33% do seu salário, baixando até ao nível do Salário Mínimo Nacional, enquanto esta multa representa para o grupo Jerónimo Martins um corte de menos de 0,02% dos lucros obtidos apenas no primeiro semestre deste ano.

Posição do PCP sobre o significado da reduzida multa aplicada ao grupo Jerónimo Martins/Pingo Doce 

Advertisements